Roteiro – Tocllaraju, Urus Este e Ishinca


1º dia: Brasil – Lima

Embarque com destino a Lima. Pernoite em hotel.

2º dia: Lima – Huaraz

Embarque em transporte coletivo até a cidade de Huaraz (3050 m), capital do departamento de Ancash, a 405 km de Lima. Huaraz está localizada no coração do Callejón de Huaylas, aos pés da Cordillera Blanca, e é a principal base para a escalada das montanhas da região. Pernoite em hotel.

3º dia: Huaraz

Dia livre para aluguel e organização dos equipamentos e compras de suprimentos. Pernoite em hotel.

4º dia: Laguna Churup – Trekking de aclimatação

Saída às 08:00 de Huaraz em veículo privado (van ou 4×4) com destino a Pitec (3850 m), pequeno vilarejo localizado a 19 km de Huaraz, onde iniciaremos a caminhada de aclimatação até a Laguna Churup, que se encontra a 4450 m de altitude. O trekking até a laguna tem, aproximadamente, 4,5 km de extensão, com um desnível de 800 m e duração total estimada de 2 a 3 horas. Retorno a Huaraz às 17:00. Pernoite em hotel.

5º dia: Huaraz – Campo Base da Quebrada Ishinca

Saída às 09:00 de Huaraz em veículo privado (van ou 4×4) com destino a Pashpa (3600 m), onde iniciaremos a caminhada até o Campo Base da Quebrada Ishinca (4400 m). Em Pashpa iremos acomodar os equipamentos nas mulas, que irão transportar toda a carga até o acampamento base, começando nosso trekking por volta das 11:00. O percurso até a base tem, aproximadamente, 15 km de extensão e 800 m de desnível, com uma duração estimada de 4 a 5 horas.

6º dia: Práticas de escalada em gelo no glaciar do Ishinca

Após o café da manhã, iremos até o glaciar do Ishinca, situado a cerca de uma hora de caminhada do acampamento base, para realizarmos algumas práticas de trânsito em glaciar e escalada em gelo. As práticas deverão durar todo o dia e retornaremos às barracas por volta das 18:00.

7º dia: Cume do Ishinca

Sairemos às 05:00 com destino ao glaciar, onde nos encordaremos para o início da subida ao cume do Ishinca (5530 m). A primeira parte do glaciar tem uma inclinação em torno de 35o e a rota, após contornar algumas gretas, leva ate a pirâmide final que dá acesso ao cume, onde a inclinação ultrapassa os 50o. O tempo total de escalada, desde o acampamento base até o cume do Ishinca, está estimado entre 5 e 6 horas, sendo o retorno realizado entre 2 e 3 horas.

8º dia: Cume do Urus Este

Sairemos às 05:00 com destino à aresta que dá acesso ao glaciar, onde nos encordaremos para vencer o restante da subida até o cume do Urus Este (5420 m). A inclinação média do glaciar é em torno de 35o a 40o e o tempo total de escalada, desde o acampamento base até o cume, está estimado entre 5 e 6 horas, sendo o retorno realizado entre 2 e 3 horas.

9º dia: Quebrada Ishinca

Dia de descanso e preparação de equipamentos e suprimentos para a escalada do Tocllaraju.

10º dia: Quebrada Ishinca – Campo Alto do Tocllaraju

Subida até o Campo Alto do Tocllaraju (5100 m), onde montaremos as barracas e passaremos o restante do dia nos hidratando e descansando para o ataque ao cume. O Campo Alto se localiza aos pés da face oeste do Tocllaraju, em uma parte plana do glaciar. Para alcançá-lo, subiremos por um “acarreo” de pedras de forte inclinação, sendo o desnível de 700 m vencido entre 4 e 5 horas de caminhada.

11º dia: Cume do Tocllaraju

Para o ataque ao cume do Tocllaraju sairemos às 04:00 de nossas barracas. Após nos encordarmos, iniciaremos a travessia do glaciar em direção à base da face oeste e, em seguida, buscaremos a aresta noroeste. Para tal, será necessário desviar-nos de uma série de gretas ou atravessá-las por pontes de neve e gelo. Dependendo das condições do glaciar, pode ser necessário saltar as gretas cujas pontes não apresentem condições de segurança ou que já tenham caído, o que é normal nos períodos mais avançados da temporada. A aresta possui trechos de escalada em gelo e inclinações superiores a 40o. A pirâmide final, que dá acesso ao cume, corresponde ao obstáculo técnico mais importante e, para se entrar em sua parede, é preciso atravessar uma rimaya (greta que se forma na base de uma parede de gelo), cuja dificuldade é variável e depende da existência ou não de pontes de gelo. Os 150 m finais apresentam uma inclinação que chega aos 70o, sendo necessária a utilização de técnicas verticais de escalada em gelo para se chegar ao cume.

A subida ao cume está estimada entre 6 e 8 horas e a descida entre 3 e 4 horas. Dependendo do horário de retorno ao Campo Alto, tomaremos a decisão de dormir uma noite mais nesse local ou descermos para o Campo Base no mesmo dia.

12º dia: Quebrada Ishinca – Huaraz

Caso tenhamos descido no dia anterior ao Campo Base, desmontaremos o acampamento e carregaremos as mulas com nossos equipamentos para iniciarmos, por volta das 10:00, a caminhada de retorno até Pashpa, de onde regressaremos a Huaraz em transporte privado (veículo 4×4 ou van), com chegada prevista por volta das 17:00. Caso tenhamos pernoitado no Campo Alto, chegaremos ao Campo Base por volta de 12:00 e iniciaremos a caminhada de retorno até Pashpa em seguida, após a preparação das mulas, estando a chegada a Huaraz prevista por volta das 20:00. Pernoite em hotel.

13º dia: Huaraz

Dia de descanso. Também pode ser utilizado como um dia extra de contingência, para eventuais problemas meteorológicos ou de aclimatação. Pernoite em hotel.

14º dia: Huaraz – Lima

Embarque em transporte coletivo até Lima. Pernoite em hotel.

15º dia: Lima – Brasil

Embarque para retorno ao Brasil.



AAGM AAGPM EPGAMT
Imagens de solução
PagSeguro